terça-feira, 23 de outubro de 2018

Champô com ou sem SAL?

Desde que optei por ter mais cuidado com o couro cabeludo e cabelo que decidi investir em produtos sem sal (nome científico Cloreto de Sódio - NaCl), normalmente aparece nos rótulos dos produtos como Sodium Chloride.


Sabemos que o cloreto de sódio, popularmente conhecido como sal ou sal de cozinha, é essencial para a sobrevivência dos seres vivos pois regula a quantidade de água no organismo e é também um importante conservante de alimentos e um popular tempero.

O aumento excessivo de sal causa risco de problemas de saúde como a hipertensão arterial... Mas acho que ninguém está a pensar em beber o champô... 😏


E nos produtos de higiene e beleza?

Nos produtos de higiene e beleza o Sal (cloreto de sódio) é um espessante que torna o produto mais viscoso e a espuma mais densa. 
No caso do Champô SEM SAL o cloreto de sódio é substituído por por polímeros sintéticos: PVP, PEG 5 e 14M, Carmomers e as Alcanolamidas de Ácido Graxo de Coco.

Quase precisamos de ter um curso superior em Química cada vez que vamos comprar um produto tão essencial como o Champô... 😖

Por todo o lado se vê publicidade de champôs sem sal!



Mas afinal o cloreto de sódio (sal) faz mal ou não ao cabelo?


Depois de muitas pesquisas e de alguma leitura de vários artigos, uns mais científicos do que outros, concluí que o cloreto de sódio em baixa concentração não interfere na manutenção nem de cabelos quimicamente tratados nem de cabelos virgens, uma vez que se dissolve totalmente em água e não se liga à estrutura dos fios.

De onde  terá surgido a teoria de que o sal estraga os cabelos? Da água do mar? Mas é incomparável a quantidade de sal que fica no cabelo quando mergulhamos no mar, com a quantidade de sal que existe num champô... Sem contar que na praia, ficarmos muito tempo com aquela quantidade de sal nos fios de cabelo, o sol, o vento, a areia, e a própria poluição da água do mar. 

A questão que surge relaciona-se, portanto, com a concentração de sal que pode estar em determinado champô. No mesmo estudo refere ainda que se um champô tivesse em grandes concentrações viria a destabilizar produto e, como tal, a sua concentração terá de ser obrigatoriamente diminuta.
Reforça ainda que os champôs ditos “sem sal” apresentam melhores resultados, uma vez que são usados diferentes princípios ativos e que a ausência do sal por si só não melhora o produto.

Um outro estudo refere ainda que o fio virgem exposto ao châmpo “com sal” não sofre alteração na estrutura da haste, mas admite que o fio com coloração apresenta alterações (descamação e fissuras), mas que não é o suficiente para afirmar perentoriamente que o cloreto de sódio faz mal ao cabelo e adverte também que os resultados estão dependentes dos compostos usados em shampoos “com sal” e “sem sal”, excluindo claro o próprio cloreto de sódio. Isto é, são os outros ingredientes que podem fazer a diferença.



Com esta pesquisa também concluí que se o champô faz espuma é porque tem Sal, quanto mais espuma fizer, mais sal ele tem. Ou seja, nenhum será isento de sal.
Na verdade, o cloreto de sódio nos champôs, é proveniente de uma reação química de tensoativos como o lauril sulfato de sódio ou o lauril éter sulfato de sódio. Logo, ele é um produto secundário. Portanto, se na embalagem disser que não contém sal, mas contém os tensoativos (nomes terminados em "de sódio"), o sal estará presente no produto, apenas surge nos ingredientes com outro nome, como por exemplo Acetato de sódio, Citrato de sódio, Carbonato de sódio, Cloreto de sódio, Cianeto de sódio, Nitrato de sódio, Nitrito de sódio, Fosfato de sódio, Sulfato de sódio, Sulfeto de sódio
Pois é... todos estes são classificados como sais.


Mesmo que os champôs contenham sal, ninguém tem com o que se preocupar, porque a quantidade é tão mínima (0,2 a 0,6%) que não é prejudicial para os cabelos.
E se que a quantidade de sal fosse alta, o tempo que estamos com o champô em contacto com o couro cabeludo e fios é tão curso que basta enxaguar no final com água doce que todo o sal é removido sem causar danos.

O que realmente é importante no momento em que escolhe o seu champô é o Ph, os ingredientes para hidratação, nutrição ou restauração, como extratos, óleos e aminoácidos, etc.. Estes sim, são os elementos que fazem a diferença entre um bom champô de um mau champô.


Qual a sua opinião? Leu pesquisas que referem o contrário?
Partilhe as suas pesquisas para que juntas se torne mais fácil esta luta pela saúde do nosso Couro e Cabelo.


Bibliografia usada:
http://siaibib01.univali.br/pdf/Rubia%20Caleffi%20e%20Thais%20Rodrigues%20Heidemann.pdf
http://siaibib01.univali.br/pdf/Giulia%20Zanatta%20e%20Thamires%20Onofre.pdf


Aviso: Todas as publicações no Couro e Cabelo são apenas partilhas de experiências e informações. Qualquer tratamento deve sempre ser prescrito e acompanhado por um médico.

Sem comentários: